Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Renato Gaúcho minimiza poucos gols do Grêmio nos últimos jogos: 'Estamos criando'

Equipe gaúcha ficou no empate por 0 a 0 com o Fluminense nesta quarta-feira em casa

Estadão Conteúdo

31 de maio de 2018 | 12h42

O treinador Renato Gaúcho disse estar despreocupado com o pequeno número de gols feitos pelo Grêmio nas últimas partidas, uma vez que chances de marcar vêm sendo criadas, de acordo com o técnico. Na última quarta-feira à noite, o time empatou por 0 a 0 com o Fluminense, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, o que representa apenas quatro gols marcados nos últimos seis jogos.

+ Leia mais notícias sobre o Grêmio

+ Confira a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro

+ Abel vê Flu fazer 'pior 1º tempo no ano' e valoriza ponto somado contra o Grêmio

"O que me preocuparia é se o Grêmio estivesse jogando mal e não estivesse criando. O Grêmio tem jogado bem, criado, colocado o adversário sempre dentro do campo dele. Tem horas que a bola não quer entrar. O que faltou neste jogo, talvez, foi um pouco mais de capricho no último passe", comentou o treinador após a partida contra o Fluminense.

Renato Gaúcho analisou a postura reativa dos rivais que enfrentam sua equipe: "Os times que encaram o Grêmio jogam para não perder. É muito mais fácil no futebol você desarmar do que armar. Bate o desespero quando eles tomam o primeiro gol porque não estão preparados para enfrentar o Grêmio de igual para igual".

A posição do time gaúcho na tabela de classificação também não tira o sono do treinador. "A pontuação não me preocupa. O Grêmio está ali no bolo da frente, em oitavo lugar, mas a dois ou três pontos dos líderes", disse Renato, em entrevista coletiva.

Com 13 pontos ganhos, o Grêmio vai visitar o Bahia na próxima rodada do Campeonato Brasileiro. A partida vai acontecer neste domingo, às 16 horas, em Salvador, na Arena Fonte Nova.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.