Reuters/Peter Cziborra
Reuters/Peter Cziborra

Richarlison discute com companheiro de equipe para definir batedor de pênalti

Atacante brasileiro é contido por jogadores do Everton após ter de ceder cobrança para Calvert-Lewin

Redação, Estadão Conteúdo

28 de agosto de 2021 | 17h48

Richarlison está com fome de gol. Seu grande sucesso na conquista do ouro olímpico com a seleção brasileira o motivou ainda mais e o colocou no radar de grandes clubes europeus. Mas, neste sábado, o que o fez ter destaque foi uma discussão com um companheiro de equipe durante o jogo entre Everton e Brighton.

A equipe de Liverpool vencia o duelo por 1 a 0, quando, já na etapa complementar Digne sofreu um pênalti. Richarlison se prontificou a efetuar a cobrança, porém teve a bola tirada de suas mãos por Andros TownsendCalvert-Lewin seria o responsável por bater. O brasileiro precisou ser contido pelos colegas e ficou revoltado com a decisão.

Calvert-Lewin converteu a penalidade e deu números finais ao jogo, com vitória do Everton, por 2 a 0. Após o gol, Richarlison seguiu os companheiros de equipe e comemorou. O atacante brasileiro, no entanto, se manteve contrariado durante o restante do segundo tempo. Ele inclusive recebeu cartão amarelo minutos mais tarde em outro lance.

Perguntado sobre a discussão, o técnico Rafa Benítez defendeu Calvert-Lewin e disse que o centroavante inglês está mais bem preparado para as cobranças de pênalti: “Sobre o pênalti, Calvert-Lewin é o batedor principal. O Richarlison sabe que ele é o segundo. O principal é que marcamos e vencemos. Nós temos que competir nos treinos para ver quem é o melhor, mas, no momento, Calvert-Lewin é o batedor principal”, afirmou o espanhol.

Richarlison tem ganhado inúmeros fãs no Brasil por sua sensibilidade social e atuação positiva no combate à pandemia do novo coronavírus, incentivando seus seguidores das redes sociais a se vacinarem. Dentro de campo, seu futebol está no radar de importantes clubes. Nos últimos dias, seu nome esteve associado ao Paris Saint-Germain. Ele poderia chegar ao clube parisiense como substituto de Kylian Mbappé - que pode ir para o Real Madrid - e formar trio de ataque com Messi e Neymar.

Outra preocupação do atacante é com a seleção brasileira. Os clubes ingleses não estão dispostos a liberar seus atletas para os conjuntos sul-americanos. Sem jogar na equipe comandada por Tite, Richarlison pode perder o embalo e a oportunidade de mostrar seu bom futebol após se destacar na disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Com o triunfo deste sábado, o Everton segue no topo da tabela e está empatado em pontos com os outros líderes provisórios West Ham, Chelsea e Liverpool. O time de Richarlison soma duas vitória e um empate, totalizando sete pontos. O próximo compromisso será diante da sua torcida em jogo com o Burnley. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.