Celio Messias/saopaulofc.net
Celio Messias/saopaulofc.net

São Paulo prepara estratégia para segurar Antony até 2020

Clube e estafe do atacante consideram que a prioridade é a permanência por mais um ano no País

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2019 | 04h30

De destaque da Copa São Paulo de Juniores e a titular do time principal do São Paulo em apenas dois meses, Antony já está na mira dos clubes europeus. A diretoria do Morumbi se prepara para resistir às sondagens que já começaram a acontecer. O Ajax, mesma equipe que contratou David Neres, está de olho nele. A prioridade é manter os destaques jovens do time, especialmente Antony, pelo menos até o final do ano.

Antony começou a chamar a atenção do time de cima no final do ano passado. Suas primeiras oportunidades foram dadas pelo então técnico Diego Aguirre com o aval de André Jardine, que estava na base. Assim que foi promovido, o clube renovou seu contrato até 2023. A ideia é evitar saídas prematuras, como no caso de Eder Militão. O estafe do jogador acredita que ainda é cedo para sair do País.

A estratégia da diretoria é montar um time forte para o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil e, para isso, a permanência de Antony até o fim da temporada é fundamental. O clube também considera que as janelas de inverno na Europa não provocam tantos estragos nos times brasileiros. 

Há nove anos no São Paulo, ele já soma nove títulos, entre os quais a Copa BH sub-17, a Supercopa do Brasil sub-20 e a Copa do Brasil sub-20. Antes de chegar ao CT de Cotia, a base são-paulina, Antony jogou futsal pelo sub-9 do Grêmio Barueri e chegou a ser premiado como melhor jogador do Estadual em 2009. Com 10 anos, foi convidado para um período de treinos e avaliações no Atlético de Madrid, na Espanha. Chegou ao Morumbi com 11 anos. Passou por todas as categorias de base. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.