Pedro Souza/Atlético
Pedro Souza/Atlético

Sem Chará, mas reforçado, Atlético-MG busca recuperação contra o América-MG

Alvinegro luta para manter distância em relação ao Santos, que venceu no sábado

Estadão Conteúdo

14 Outubro 2018 | 06h14

Sem Yimmy Chará, mas reforçado com a volta de jogadores importantes, o Atlético Mineiro busca se recuperar no Campeonato Brasileiro no clássico regional com o América neste domingo, às 19 horas, no Estádio Independência, em Belo Horizonte. O duelo é válido pela 29ª rodada do Brasileirão.

O Atlético-MG ainda sonha com um lugar no grupo dos quatro primeiros colocados para conquistar vaga direta à fase de grupos da Copa Libertadores. A equipe tem 45 pontos, sete pontos atrás do quarto colocado São Paulo.

O time mineiro terá seis mudanças em relação à equipe que foi derrotada pela Chapecoense na última rodada, por 1 a 0, em Chapecó. O lateral-direito Emerson e o atacante Yimmi Chará, com suas respectivas seleções, brasileira sub-20 e colombiana, e o volante José Welison, com dores decorrentes de uma pancada no joelho direito, são os desfalques da equipe.

Em contrapartida, o zagueiro Iago Maidana, o meia Cazares e o atacante Ricardo Oliveira voltam à equipe. O primeiro estava suspenso, enquanto os outros dois se recuperaram de suas lesões e voltam a ficar à disposição do técnico Thiago Larghi. Assim, Gabriel, Galdezani e Denilson deixam de figurar entre os titulares.

Larghi sinalizou que vai optar por Adilson para a vaga de José Welison. Titular em boa parte da temporada, Adilson teve seu contrato renovado até dezembro de 2020 e tem a confiança de Larghi. No ataque, ainda não está confirmado quem substitui Chará. O argentino Tomás Andrade é o favorito na disputa, mas reclamou de uma pancada no tornozelo e a vaga pode ficar com Leandrinho.

"Independente de quem a gente escolher, estará bem inserido dentro do nosso grupo. Espero que a gente faça uma boa partida no domingo porque a gente precisa desses três pontos", disse o treinador da equipe alvinegra.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.