Tiziana Fabi/ AFP
Tiziana Fabi/ AFP

Sem Ibrahimovic, Milan bate Fiorentina e amplia vantagem na liderança do Italiano

Atacante sueco se recupera de lesão muscular na coxa; Milan tem cinco pontos a mais que a vice-líder Inter

Redação, Estadão Conteúdo

29 de novembro de 2020 | 13h48

Mesmo desfalcado de seu goleador, o Milan não teve dificuldades para ganhar da Fiorentina por 2 a 0 neste domingo, em casa, em duelo da nona rodada. Com isso, o time de Milão aumentou a vantagem na liderança do Campeonato Italiano e manteve a invencibilidade no torneio.

O Milan soma 23 pontos e abriu cinco de frente para o terceiro colocado Sassuolo, derrotado no sábado pela Inter de Milão, que assumiu a vice-liderança da competição, e tem seis a mais que a Juventus. O time de Turim tropeçou em casa diante do Benevento e perdeu a chance de subir para o segundo lugar.

O Milan está invicto na liga italiana desde a reta final da temporada passada. A equipe de Milão não perde há 21 jogos, desde o dia 8 de março, quando foi superada pelo Genoa. Foram 16 vitórias e cinco empates na sequência.

A Fiorentina faz uma campanha ruim neste início e briga na parte de baixo da tabela. No momento, tem oito pontos e aparece na 16ª colocação, próxima da zona de rebaixamento.

Sem Ibrahimovic, que segue em recuperação de uma lesão muscular na coxa, o Milan não foi brilhante, mas manteve a consistência que o levou à liderança e venceu com tranquilidade no San Siro. O sueco viu o seu time definir o triunfo ainda no primeiro tempo.

O zagueiro italiano Romagnoli abriu o placar de cabeça, aos 17 minutos, e o volante marfinense Kessié selou a vitória aos 27 em cobrança de pênalti. Antes do intervalo, aos 40, ele desperdiçou outra penalidade, mas não fez falta. Na etapa final, os anfitriões reduziram o ritmo, mas conseguiram administrar com segurança a vantagem.

Em outros dois jogos neste domingo, a Udinese (13ª) derrotou a Lazio (9ª) fora de casa, por 3 a 1, e o Bologna (10º) superou o lanterna Crotone por 2 a 0, em casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.