Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

TST aceita pedido da CBF e permite realização de jogo entre Palmeiras e Flamengo

Tribunal derruba liminar do TRT-RJ e confirma partida deste domingo no Allianz Parque

Redação, Estadão Conteúdo

27 de setembro de 2020 | 16h08

A CBF fez valer o regulamento assinado por todos os clubes e, apelando ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), conseguiu a liberação para a realização de Palmeiras x Flamengo neste domingo, no estádio Allianz Parque, em São Paulo, pela 12.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo com os apelos de adiamento dos cariocas por causa da pandemia de covid-19 que infectou 16 atletas do elenco e muitos dirigentes e integrantes da comissão técnica, o jogo foi confirmado.

Depois de ter seu pedido no Tribunal Regional de Trabalho (TRT) negado, a CBF apelou ao órgão superior para garantir o confronto e, ao mesmo tempo, evitar uma possível paralisação do Brasileirão.

O despacho do TST alegou que decisão do TRT só poderia valer se o jogo fosse disputado no Rio de Janeiro. Como estava marcado para São Paulo, garantiu a realização da partida, que começou com atraso, às 16h22.

O Flamengo travou enorme batalha jurídica para não entrar em campo. Jogadores importantes do elenco estão infectados com a covid-19, mas, como a doença não mexeu em outros jogos, presidentes de outros clubes ameaçaram paralisar o campeonato e até cobraram punições caso o clube rubro-negro não cumprisse o regulamento.

"Os regulamentos são claros, com previsão de penas gravíssimas: os clubes não podem pleitear ou se beneficiar de decisões da 'Justiça Comum' que digam respeito à organização das competições", postou Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG. "O grande problema do futebol é quando um clube só pensa nele e em mais nada. Suspender um jogo é suspender o protocolo que todos toparam. Melhor paralisar o campeonato inteiro então", endossou o corintiano Andrés Sanchez.

O presidente do Goiás, Marcelo Almeida, que sofreu bastante com os casos de covid-19 nas primeiras rodadas, disse que "o Flamengo está pensando muito nele mesmo" e sugeriu uma "reviravolta" no campeonato.

Os cariocas aceitaram ir para a partida. Mas, só chegaram ao estádio às 15h30, apenas 30 minutos antes do horário marcado para o início do jogo, o que causou o atraso para que os jogadores pudessem realizar o aquecimento.

Irredutível desde o início do imbróglio, o Palmeiras fez aquecimento normal meia hora antes do início do jogo no gramado do Allianz Parque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.