Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Yuri Alberto se torna 6º mais jovem a marcar pelo Santos: 'Minha hora ia chegar'

Feito foi alcançado em seu primeiro jogo como titular, após receber outras duas chances saindo do banco de reservas

Redação, Estadão Conteúdo

08 de março de 2018 | 17h46

O atacante Yuri Alberto fez história com a camisa do Santos na derrota por 2 a 1 para o Novorizontino, na noite de quarta-feira, pelo Campeonato Paulista. Autor do único gol do time, ele se tornou o sexto jogador mais jovem a marcar pela equipe na sua história. E o feito foi alcançado logo em seu primeiro jogo como titular, após receber outras duas chances saindo do banco de reservas com o técnico Jair Ventura.

+ Confira a classificação do Campeonato Paulista

"É um momento marcante. Fico muito feliz por fazer parte desse grupo, mas ainda tem muita coisa para acontecer comigo aqui no Santos FC e espero bater vários recordes no clube. Apesar do gol, infelizmente não consegui ajudar o time a conquistar a vitória em Novo Horizonte", afirmou, ao site oficial do Santos.

Com o gol marcado aos 16 anos, 11 meses e 20 dias, Yuri Alberto só não foi mais precoce pelo Santos do que Coutinho, o recordista, com 14 anos e 11 meses, Pelé, Edu, Victor Andrade e Diego. E, assim, ele deixou para trás Rodrygo, agora o oitavo colocado, e Gabriel, o sétimo, e que inclusive lhe deu dicas para o seu primeiro gol.

"Tinha comentado com o Rodrygo e o Gabriel antes do jogo que esse gol uma hora ia sair. O Gabriel, inclusive, me deu uma dica e disse para ficar atento dentro da área pois sempre acaba sobrando uma bola. Eu fui confiante ali no lance, aproveitei o rebote do goleiro e consegui marcar. Depois que balancei a rede veio muita coisa na cabeça, tudo que passei quando era pequeno até chegar aqui. Foi muito especial", afirmou o camisa 29.

Diante do Novorizontino, Yuri Alberto teve a companhia de Rodrygo. Ele revelou que tentou colocar em prática o entrosamento construído nas divisões de base do Santos, mas lamentou que as condições ruins do gramado em razão da forte chuva em Novo Horizonte tenham afetado o seu desempenho.

"O Jair já tinha comentado comigo no início do ano que a minha hora iria chegar. Trabalhei firme para estar preparado para quando ela chegasse, e consegui corresponder. Durante o jogo desta quarta eu combinei com o Rodrygo de executar o que já fazíamos na base, mas o estado do campo não ajudou, né!? O jogo acabou sendo mais de força, de primeira e segunda bola. Mas o nosso entrosamento é muito bom. A gente se diverte dentro do campo, como já fazíamos na base, sempre com ousadia e alegria", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.