Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Zé Ricardo diz que Vasco jogou 'no limite' e exalta momento mesmo após empate

Equipe carioca empatou por 1 a 1 com o Coritiba no Maracanã

Estadão Conteúdo

22 Outubro 2017 | 10h46

O Vasco tropeçou no Campeonato Brasileiro no último sábado, ao ficar somente no empate por 1 a 1 diante do Coritiba, mesmo atuando no Maracanã. O resultado não foi o esperado para uma equipe que sonhava em se aproximar da zona de classificação para a Libertadores, mas o técnico Zé Ricardo se mostrou satisfeito com seus comandados e elogiou a atitude demonstrada.

+ Vasco sai na frente, mas leva empate contra o Coritiba

"O Coritiba é uma grande equipe, está lutando na zona de rebaixamento, e é muito difícil jogar contra essas equipes. Os resultados mostram isso. A gente foi no nosso limite, a entrega foi muito boa, mas infelizmente não deu. Tentamos, mas não tem lamentação. Já estamos pensando no próximo jogo", garantiu.

Zé Ricardo também fez questão de lembrar do bom momento vivido pelo Vasco no Brasileirão. Afinal, o time não perde há seis partidas e somou 10 dos últimos 12 pontos possíveis.

"Acho que a torcida precisa estar orgulhosa da nossa equipe. Nós estamos numa sequência sem perder. Dos últimos 12 pontos disputados, conquistamos 10. Se há quatro rodadas alguém fizesse essa proposta para mim num papel em branco, eu assinaria na hora. Então, penso que o Campeonato Brasileiro tem essas situações", avaliou.

O treinador vascaíno ainda afastou a possibilidade de o tropeço interferir na confiança da equipe para a próxima rodada, na qual fará clássico com o Flamengo no próximo sábado, no Maracanã.

"Não tem chance de nós entrarmos em campo sem confiança. O clássico por si só é muito motivador. Tenho certeza que a nossa equipe irá colocar para trás esse resultado, até porque ele já passou e não pode mais ser mudado. Iremos trabalhar para tentar produzir melhor e conseguir três pontos no próximo jogo."

Mais conteúdo sobre:
VascofutebolZé RicardoVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.