Ricardo Bufolin/CBG
Ricardo Bufolin/CBG

AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Após denunciar abusos sexuais na ginástica, Petrix Barbosa é campeão na França

Ginasta dá a volta por cima ao triunfar no Circuito Francês de Clubes

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

02 Junho 2018 | 19h05

O ginasta Petrix Barbosa venceu o Circuito Francês de Clubes (por equipes e no individual geral), neste sábado, em Paris. O atleta defendeu as cores do clube Tac Gym, pelo qual foi convidado a competir. 

+ Em CPI, ex-técnico da ginástica nega ter abusado de atletas

+ Projeto condiciona patrocínios de bancos públicos a medidas contra abusos sexuais

"Estou muito feliz. Fui para o regional em março e fomos classificados para o nacional, fase que disputamos hoje (sábado). Ano que vem vamos subir mais uma divisão. Meu clube é modesto, mas o projeto é grande e eles têm o sonho de serem campeões franceses da divisão número um", declarou Petrix sobre a conquista.

A vitória representa uma "volta por cima" para o atleta. Foi a primeira conquista de Petrix após denunciar que teria sido vítima de abuso sexual cometido pelo ex-técnico da seleção brasileira de ginástica artística Fernando de Carvalho Lopes. Ao todo, 40 jovens afirmaram terem sido vítimas de abusos. Desses, 10 levaram o caso à Justiça, que investiga os casos. A denúncia foi apresentada pelo Fantástico, da TV Globo, no final de abril. 

Atualmente, Petrix está sem clube no Brasil e, por isso, não pode defender a seleção. Seu sonho é disputar a Olimpíada de Tóquio. "Meu sonho é disputar a Olimpíada de 2020. Por enquanto, quero apenas voltar a competir. Estava dois anos fora do cenário mundial e quero adquirir mais confiança nessas séries novas. Porém, me sinto em plenas condições físicas”, afirmou o ginasta de 26 anos que conquistou uma medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara, no México.

A última vez em que Petrix competiu pela seleção brasileira foi no Aberto do México, em novembro de 2016, logo após a Olimpíada do Rio. “Estou treinando muito para o individual geral, mas a barra fixa é realmente o meu forte. Estou com notas de partida muito boas nas barras paralelas. Tenho melhorado no cavalo com alças. Em uma competição na qual eu acerte esses três, tenho grandes chances de medalha”, afirmou Petrix, que já atuou pelo Flamengo e pelo Vasco em 2015 e 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.