Adrian Dennis/AFP
Adrian Dennis/AFP

AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Com recorde, americano Coleman fatura ouro nos 60m no Mundial Indoor de Atletismo

Atleta faz o percurso em 6s37, ficando à frente de chinês e compatriota

Estadão Conteúdo

03 Março 2018 | 23h14

Com direito a cravar o novo recorde da história da competição, o norte-americano Christian Coleman conquistou neste sábado a medalha de ouro da prova dos 60 metros do Mundial Indoor de Atletismo, em Birmingham, na Inglaterra. E ganhou a disputa com a marca de 6s37, enquanto a prata ficou com o chinês Bingtian Su (6s42) e o bronze com outro atleta dos Estados Unidos, Ronnie Baker, com o tempo de 6s44.

+ Com melhor salto da carreira, Almir Júnior fatura prata no Mundial Indoor

+ Corredor etíope quer representar Brasil e sonha com dois ouros

Coleman já havia feito história no mês passado ao estabelecer o novo recorde mundial desta distância, realizada apenas em competições indoor no atletismo, que pertencia há duas décadas ao seu compatriota e ex-velocista Maurice Greene. O jovem de 22 anos cronometrou 6s34 e superou a marca de 6s39 que o ex-atleta conseguiu em uma prova em Madri em fevereiro de 1988.

Assim, Coleman confirmou o seu favoritismo e destacou que a sua vitória neste sábado valeu mais para ele do que o recorde mundial que estabeleceu no mês passado. E, para se garantir no topo do pódio, o norte-americano foi dominante na prova em solo inglês e em nenhum momento viu a sua vitória ser ameaçada pelos seus adversários.

O ouro em Birmingham também foi mais uma demonstração do grande momento vivido por Coleman desde 2017, quando ganhou a medalha de prata nos 100 metros no Mundial de Atletismo de Londres. Naquela ocasião, ele terminou a final desta prova com o tempo de 9s94 e ficou logo à frente do jamaicano Usain Bolt, que era o grande favorito ao ouro e acabou sendo surpreendido ao ficar com o bronze, com 9s95, na competição que marcou o seu adeus às pistas. O topo do pódio foi assegurado pelo norte-americano Justin Gatlin, com 9s92.

MULHERES BRILHAM

Já em provas femininas, uma atleta que voltou a brilhar neste Mundial na Inglaterra foi a etíope Genzebe Dibaba, que faturou o ouro nos 1.500 metros, dois dias depois de ter conquistado o tricampeonato olímpico dos 3.000m. Assim, ela conseguiu repetir uma façanha que anteriormente foi alcançada pela romena Gabriela Szabo na edição de 1999 do Mundial Indoor.

Já nos 60 metros com barreira, a norte-americana Kendra Harrison garantiu o ouro com o tempo de 7s70, novo recorde da história desta competição, sendo que ela ficou a apenas dois centésimos da marca mundial desta prova, que pertence à sueca Susanna Kallur.

Outra mulher a brilhar neste penúltimo dia do Mundial Indoor foi a também norte-americana Sandi Morris, que amealhou o ouro na prova do salto com vara com a marca de 4,95m, novo recorde da competição, superando a russa Anzhelika Sidorova, prata com 4,90m, e a grega campeã do mundo Katerina Stefanidi, bronze com 4,80m.

Assim, Morris ainda afastou a sina de eterna medalhista de prata, que ela obteve nas últimas duas edições do Mundial Indoor, nos Jogos Olímpicos do Rio-2016 e também no Mundial de Londres do ano passado.

Mais conteúdo sobre:
atletismo Christian Coleman

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.