Satish Kumar Subramani /Reuters
Satish Kumar Subramani /Reuters

'Ganhar 100 títulos é um sonho que virou realidade', celebra Federer

Suíço atinge marca ao derrotar o grego Stefanos Tsitsipas na final do Torneio de Dubai

Redação, Estadão Conteúdo

02 de março de 2019 | 16h12

Roger Federer celebrou neste sábado mais um grande feito em seu currículo. E não escondeu a alegria por levantar o 100º troféu da carreira, ao se sagrar campeão do Torneio de Dubai, competição de nível ATP 500 disputado nos Emirados Árabes Unidos. "Amo cada minuto da minha carreira, ganhar 100 troféus é um sonho que se tornou realidade", disse o suíço.

O triunfo na decisão aconteceu sobre o jovem grego Stefanos Tsitsipas, em um legítimo duelo de gerações. E o rival de apenas 20 anos foi alvo de uma brincadeira de Federer na comemoração. "Eu não sei se Stefanos já era nascido quando eu conquistou o meu 1º título", disse o suíço.

A primeira taça de Federer, em nível ATP, foi conquistada em 2001, em Milão. Na época, o tenista grego tinha dois anos de idade. O suíço, por sua vez, tinha 19 anos e só estava iniciando uma escalada no circuito, que culminaria na liderança do ranking e na conquista de Grand Slams. Ele é o atual recordista tanto no número de semanas na primeira posição (310) quanto na quantidade de troféus deste nível (20).

Agora ele vai atrás de nova marca histórica. Alcançar os 109 títulos do norte-americano Jimmy Connors, recordista de troféus em simples no masculino. "Estou muito feliz. É incrível faturar o meu oitavo título em Dubai numa combinação com o meu 100º troféu em simples", celebrou o suíço, neste sábado.

Ele tratou de valorizar as dificuldades da chave que enfrentou nesta edição da competição e exaltou o rival grego. "As condições e os oponentes foram complicados. Stefanos foi campeão em Marselha, na semana passada, e foi difícil jogar aqui em alto nível para ele", opinou Federer.

Na avaliação do ex-número 1 do mundo, o tênis ficará em boas mãos quando ele se aposentar. "É um privilégio contra rivais deste nível porque eu estarei assistindo eles na TV [futuramente]. Eu também fui um obstáculo para Pete Sampras e Andre Agassi. Tenho certeza de que Stefanos terá uma carreira maravilhosa. O tênis estará em boas mãos independente de eu estar lá no futuro ou não."

Tsitsipas devolveu os comentários positivos do seu ídolo. "Ele foi o meu ídolo desde que eu tinha seis anos e agora eu divido a quadra com ele", disse, ainda surpreso, o grego. "Conquistar 100 títulos é uma loucura total", afirmou, entre risos.

Com os resultados de Dubai, Federer vai subir do sétimo para o quarto lugar do ranking, enquanto Tsitsipas entrará no Top 10 pela primeira vez.

Mais conteúdo sobre:
Roger Federertênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.