Benoit Tessier/Reuters
Benoit Tessier/Reuters

Thomaz Bellucci minimiza queda no ranking: 'Não é o foco no momento'

Brasileiro caiu 80 posições, passando da 144ª para a 224ª na ATP

Estadão Conteúdo

16 de abril de 2018 | 21h46

Com dificuldades de retomar sua melhor forma no circuito, Thomaz Bellucci minimizou nesta segunda-feira a dura queda que sofreu no ranking da ATP. O tenista brasileiro caiu 80 posições, passando da 144ª para a 224ª colocação ao não defender os pontos do vice-campeonato do Torneio de Houston, cuja edição de 2018 foi encerrada no último domingo.

+ Após título na Suíça, belga Elise Mertens sobe 3 posições no Top 20 do tênis

"Não estou com o foco nisso, neste momento. Para mim o mais importante é voltar a jogar bem e ganhar jogo a jogo. O ranking será consequência", afirmou o ex-número 1 do Brasil, que voltou a competir em fevereiro após cumprir suspensão de cinco meses por doping.

De volta aos torneios, Bellucci faturou apenas uma vitória na temporada em chaves principais no circuito da ATP (foram dois triunfos em qualifyings) e sofreu quatro derrotas. Jogando torneios de nível Challenger para recuperar o ranking, foram três vitórias e duas derrotas.

"Fiquei cinco meses parado, sem jogar e sabia que ia chegar uma hora em que teria que defender muitos pontos, sem ter feito outros antes", disse Bellucci, que já foi o 21º do mundo, em 2010. Esta é a primeira vez desde 2007 que o tenista paulista deixa de integrar o grupo dos 200 mais bem colocados do ranking. Isso não ocorria desde 11 outubro daquele ano, quando figurava no 214º lugar.

No dia em que sofreu a dura queda no ranking, o brasileiro estreou com vitória no Challenger de Sarasota, nos Estados Unidos. Ele derrotou o norte-americano JG Aragone, 334º do ranking, por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/1.

No torneio, Bellucci joga praticamente em casa porque passou a morar na região no início do ano. Atualmente ele treina na cidade de Bradenton, também na Flórida. "É bom jogar perto de casa. Temos uma série de torneios na região e, logisticamente, fica muito bom", avalia o tenista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.