Yasuyoshi Chiba/AFP
Yasuyoshi Chiba/AFP

Acidente de Schumacher completa cinco anos ainda envolvido em mistério

Família protege informações sobre estado de saúde de ex-piloto alemão

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de dezembro de 2018 | 04h30

O maior mistério do esporte completa cinco anos neste sábado. Desde 29 de dezembro de 2013, quando sofreu um acidente de esqui em Méribel, na França, o mundo do automobilismo soube poucas informações sobre o estado de saúde do heptacampeão mundial Michael Schumacher. O alemão deixou o hospital após seis meses internado e depois disso, quase não houve informações oficiais divulgadas.

Os fãs do piloto com mais títulos e vitórias na Fórmula 1 continuam sem saber detalhes sobre a recuperação dele. A empresária e assessora de Schumacher, Sabine Kehm, afirma que não pode passar informações pois precisa atender o pedido da família de Schumacher por discrição. Apesar disso, especulações, entrevistas de amigos e reportagens da imprensa europeia continuam a circular e a aumentar o ar de mistério sobre a situação do alemão.

A mais recente informação veio do jornal inglês Daily Mail. Segundo a publicação, o ex-piloto não está em coma nem respira com a ajuda de aparelhos. No começo deste mês, o ex-chefe de Schumacher na Ferrari e atual presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, deu outros detalhes. O dirigente contou ao jornal alemão Auto Bild ter acompanhado o GP do Brasil de Fórmula 1 ao lado do amigo.

"Eu sou sempre cauteloso quando digo alguma coisa, mas é verdade que eu vi o Grande Prêmio do Brasil de 2018 na Suíça com Michael Schumacher", disse Todt. O alemão mora na cidade de Gland, onde a família se refugia da curiosidade. A promessa dos parentes é não tentar divulgar informações sobre o piloto. Nem mesmo boatos foram desmentidos.

Uma das informações de mais repercussão foi em 2015. O jornal Daily Express publicou que Schumacher estava pesando apenas 45 kg. No ano seguinte, o arcebispo alemão Georg Gänswein afirmou à revista Bunte que esteve com o ex-piloto. "Sentei na frente dele, segurei as duas mãos e olhei para ele. Seu rosto é, como todos sabemos, o típico rosto de Michael Schumacher, só está um pouco mais cheio. Ele sente que pessoas amorosas estão ao seu redor, cuidando dele", explicou.

Schumacher vai completar 50 anos de idade em 3 de janeiro. Para comemorar a data, a família anunciou o lançamento de um aplicativo, que terá carros de corrida em 3D, informações e vídeos da carreira do alemão. A Ferrari também pretende organizar uma exibição em sua sede, em Maranello, para relembrar os cinco títulos mundiais do ex-piloto vencidos pela escuderia alemã. 

Schumacher sofreu o acidente ao bater em uma pedra enquanto descia de esqui. O ex-piloto fazia um traçado fora da pista convencional. O impacto, inclusive, foi filmado por uma câmera fixada no capacete do alemão. As imagens foram utilizadas na investigação.

HERDEIRO

O ano de 2018 foi importante para um dos filhos do heptacampeão, Mick Schumacher. Aos 19 anos, ele foi campeão da Fórmula 3 Europeia, título conquistado pelo pai na década de 1990. O sonho dele é de chegar um dia à Fórmula 1. O talento já faz o jovem piloto a chamar a atenção de equipes como Mercedes e Ferrari. 

Em 2019 o jovem piloto vai correr na Fórmula 2, o último passo antes da principal categoria do automobilismo. Mick é o filho mais novo de Schumacher. A primogênita é Gina Maria, de 21 anos, que tem como grande paixão a disputa de provas de equitação.  O ex-piloto está casado com Corinna desde agosto de 1995.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.