Mauro Pimentel/AFP
Mauro Pimentel/AFP

São Paulo abre negociação para renovar com a F-1 e tem Rio como concorrente

Prefeitura tenta novo acordo para receber a categoria; vínculo atual vai até 2020

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

26 de abril de 2019 | 18h32

A prefeitura de São Paulo e os promotores do GP do Brasil de Fórmula 1 já começaram a cuidar da renovação do contrato para manter a cidade no calendário da categoria. Como o acordo atual vale somente para realizar a corrida em Interlagos até 2020, a negociação teve início para esticar o vínculo com a categoria e vencer a concorrência com outros locais interessados em receber a prova.

O principal concorrente de São Paulo é o Rio de Janeiro. A cidade tem um projeto de construção de um novo autódromo no bairro de Deodoro. O projeto custa cerca de R$ 700 milhões. Nesta sexta-feira, o governador do Rio, Wilson Witzel, contou que recebeu uma carta do comando da Fórmula 1 com a demonstração de interesse em levar o GP do Brasil para a capital fluminense. 

"Fiquei honrado em receber a carta de Sean Bratches, diretor de Operações Comerciais da F-1, que demonstrou interesse em trazer o GP Brasil para o Rio de Janeiro. Já venho falando há algum tempo sobre o projeto do autódromo em Deodoro. Vamos trabalhar muito para que a F-1 volte para o nosso Rio de Janeiro", escreveu Witzel no Twitter.

Procurada pelo Estado, a prefeitura de São Paulo explicou que tem o interesse de continuar a receber a Fórmula 1. "Temos a intenção de manter o evento na cidade. Inclusive já estão ocorrendo as tratativas para renovação ainda em 2019. Além disso, o autódromo de Interlagos é o único do Brasil que possui certificação para realizar a prova", disse em nota.

O acordo em vigor entre Interlagos e a Fórmula 1 foi assinado em 2014. Como contrapartida pelo contrato, o autódromo recebeu nos últimos anos recursos federais de R$ 160 milhões para reformar e ampliar o paddock, uma antiga exigência das equipes. Na última renovação uma das cláusulas previa a possível renovação do vínculo por mais cinco anos.

A empresa promotora do GP do Brasil de Fórmula 1, a Interpub, explicou que a Fórmula 1 fez contatos recentemente com outras cidades do País, como o Rio, para avaliar um novo local para a prova. Mas o cenário mais provável é pela continuidade de São Paulo. "A Interpub, responsável pela realização da corrida, mantém seu compromisso assumido com a Prefeitura Municipal de São Paulo. Nós acreditamos que o GP do Brasil continuará sendo disputado em Interlagos", disse em nota.

Nesta sexta-feira, o jornal O Globo revelou que o comando da Fórmula 1 enviou cartas para o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, para o governador do Rio, Wilson Witzel, e para o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, para comunicar o interesse de realizar o GP do Brasil na capital fluminense a partir dos próximos anos. O plano da cidade é receber a prova a partir de 2021.

A aproximação entre a Fórmula 1 e o Rio é antiga. Em novembro do ano passado, durante passagem pelo Brasil, o chefe da categoria, Chase Carey, viajou à cidade para se reunir com Witzel e conhecer detalhes do projeto. O Rio tenta construir um novo autódromo desde 2012, quando a antiga pista de Jacarepaguá foi demolida para dar lugar ao Parque Olímpico. 

A última prova de Fórmula 1 realizada no Rio foi em março de 1989. A partir do ano seguinte, Interlagos passou a ser a etapa brasileira da categoria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.