Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians
Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Carille diz que Corinthians precisa de cinco vitórias para ser campeão

Técnico refaz as contas e afirma que Grêmio está fora da luta pelo título

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

12 Outubro 2017 | 07h00

Após altos e baixos do Corinthians de seus rivais na luta pelo título, o técnico Fábio Carille decidiu refazer as contas e chegou a conclusão que mais cinco vitórias são suficientes para ser campeão brasileiro. Para chegar ao número, ele contou com uma vitória do Santos sobre a Ponte Preta, às 17h, nesta quinta-feira, em Campinas. O comandante corintiano ainda tirou o Grêmio da luta pela taça.

+ Clayson agradece dica de Pottker e espera dar 'dor de cabeça boa' para Carille

“Faço contas, mas não é o que eu passo para o meu grupo, porque vamos jogo a jogo. São oito pontos de diferença, contando que o Santos vença. Se conseguirmos cinco vitórias em 11 jogos, o Santos precisa de oito vitórias em 11 jogos. É impossível? Não, mas não é fácil. Acredito que com cinco vitórias sejamos campeões, porque é muito difícil conseguir oito vitórias em 11 jogos”, explicou o treinador.

Pelas contas do treinador, o Corinthians precisará de apenas 73 pontos para ser campeão brasileiro. Anteriormente, ele projetava a necessidade de somar 78 para assegurar o título. Em relação ao Grêmio, a vitória do Corinthians e a derrota do time gaúcho para o Cruzeiro por 1 a 0 fizeram com que a diferença entre os clubes ficassem em 12 pontos. “Se eu ganhar três, o Grêmio precisa ganhar oito também. Não é impossível, mas vai ficando fora da briga”, analisou.

+ Arana se esquiva sobre proposta e Carille assume culpa por queda de rendimento do lateral

Sempre ponderado e, em alguns momentos mostrando até frieza, Carille admitiu que a ansiedade com a proximidade do título está aumentando. Ele revelou ser difícil controlar a situação e que só o trabalho no dia a dia faz ele tentar esquecer a situação.

+ Clayson sai do banco e comanda vitória do Corinthians sobre o Coritiba

“Essa questão de ansiedade acho que vale mais para mim do que para os atletas. São dias intensos e com a proximidade de uma conquista grande, que ainda não temos, mas há uma chance clara. Antes de controlar meu grupo, tenho de me controlar e não está sendo fácil. Serão mais ou menos 50 dias de trabalho duro em busca do nosso grande objetivo”, disse.

O Corinthians volta a campo no domingo, para enfrentar o Bahia, às 19h, em Salvador. O elenco se reapresenta na manhã desta quinta-feira, no CT Joaquim Grava.

 

Mais conteúdo sobre:
Corinthians Fábio Carille Clayson

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.