Julio Muñoz/EFE
Julio Muñoz/EFE

Após vitória convincente, Mina promete Colômbia 'com pés no chão' contra Senegal

Zagueiro marcou gol na vitória sobre a Polônia por 3 a 0 no último domingo

Estadão Conteúdo

26 Junho 2018 | 11h50

Depois de uma dolorosa derrota na estreia para o Japão, quando atuou quase o tempo todo com um jogador a menos, a Colômbia mostrou do que é capaz na segunda partida da Copa do Mundo, ao atropelar a Polônia por 3 a 0, no domingo. O resultado deixou a seleção dependendo apenas de si para garantir vaga nas oitavas. Para isso, basta vencer Senegal quinta-feira, em Samara.

+ Treinador polonês reconhece superioridade da Colômbia: "Foi um time melhor"

+ Zagueiro japonês diz que ausência de um craque uniu a seleção do país

"Sabemos que será uma partida muito difícil. A gente joga com toda intensidade e vamos tentar fazer isso desde o primeiro minuto", declarou o zagueiro Yerry Mina nesta terça. "Devemos manter sempre a alegria. A seleção colombiana é uma grande família, que se caracteriza por ser muito alegre, e só demonstramos isso no campo."

Com três pontos, a Colômbia pode até terminar a primeira fase como campeã do Grupo H. Afinal, neste momento, Senegal e Japão dividem a ponta com quatro pontos. Apesar de mostrar confiança em seu time, o próprio Mina reforçou a necessidade de encarar o próximo confronto com humildade.

"Às vezes, pode ser que isso (jogar com alegria) não aconteça, quando se perde uma partida, ou está para baixo. Mas os companheiros te ajudam. Agora, temos que enfrentar este duelo com Senegal com os pés no chão", avaliou. "Qualquer seleção pode vencê-lo. Estamos em uma Copa do Mundo, em que todas as seleções são fortes."

 

Mina foi o responsável por abrir o placar contra a Polônia. Cuadrado marcou o terceiro e selou o resultado. O meia também falou nesta terça sobre o confronto com Senegal e, como o zagueiro, elogiou o adversário e pediu atenção a seus colegas.

"Devemos estar atentos, porque (Senegal) é uma grande equipe. Tem grandes jogadores que jogam em grandes equipes e grandes ligas. Não são um time que apenas corre. Tecnicamente, estão bem servidos e devemos estar atentos", apontou.

Apesar dos elogios, Cuadrado também mostrou confiança no potencial colombiano para vencer. "Depois de ter uma partida tão importante como foi contra a Polônia, temos que encarar esta próxima com a maior responsabilidade. Podemos fazer dano a qualquer seleção e temos condições e técnica para fazê-lo. Não podemos mudar nosso estilo de jogo."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.