Rosiron Rodrigues/Goiás
Rosiron Rodrigues/Goiás

CBF anuncia mudanças no protocolo de saúde; clubes terão de testar todo o elenco

Entidade tenta diminuir riscos de jogos do Brasileirão serem adiados por atraso em exames do novo coronavírus

Daniel Batista e Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2020 | 12h29
Atualizado 10 de agosto de 2020 | 20h19

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou na noite desta segunda-feira mudanças no protocolo de saúde do Campeonato Brasileiro. Para os duelos a partir de sexta-feira, os clubes terão de testar todos os jogadores do elenco, independentemente de estarem relacionados ou não para a partida - antes, apenas os relacionados realizavam os exames de coronavírus. Além disso, os clubes vão poder realizar os testes fora do Hospital Albert Einstein, parceiro da CBF. Se optarem por outro laboratório, serão reembolsados pela entidade. Os resultados precisam ser entregues até 24 horas antes da partida pelo time mandante e até 12 horas antes da viagem da equipe visitante.

O fato de o jogo entre Goiás e São Paulo ter sido suspenso minutos antes da bola rolar, no último domingo, ligou um sinal de alerta na CBF. O clube goiano recebeu exames positivos de nove jogadores do elenco no próprio domingo, pouco antes do horário da partida que estava marcada para as 16h, no estádio da Serrinha. Os atletas do São Paulo já até estavam no campo quando foram avisados sobre o adiamento.No dia seguinte ao problema, a entidade divulgou as mudanças em seu site oficial. 

Ainda no domingo, o Corinthians anunciou que não utilizará o Hospital Albert Einstein para fazer exames em seus jogadores, alegando que há falhas e inconsistências nos exames. O hospital é parceiro da CBF e a ideia da entidade era que todos os clubes fizessem os testes no mesmo lugar, com a coleta sendo realizada por hospitais locais. Mas a demora nos resultados dos exames foi alvo de muitas críticas e motivo do jogo de domingo ter sido adiado. Além disso, o Red Bull Bragantino recebeu resultados errados do Einstein antes das quartas de final do Paulistão - nove jogadores, quatro membros da comissão técnica e outros dez funcionários testaram positivo, mas a contraprova deu negativa e saiu horas antes da partida contra o Corinthians.

A primeira rodada do Brasileirão foi marcada pelo adiamento em cima da hora do jogo em Goiânia. O São Paulo chegou a entrar em campo para a partida, enquanto o Goiás tentava adiar a partida, já que tinha nove contaminados, sendo oito titulares. Segundo o clube goiano, os atletas passaram por testes na sexta-feira e o resultado só foi divulgado na manhã de domingo. Sem time para entrar em campo, o clube precisou chamar atletas da base para compor o banco de reservas e esses nem chegaram a ser testados. 

A situação irritou os jogadores. O meia Daniel Alves, do São Paulo, chegou a se manifestar fazendo duras críticas a situação. Em seguida, o atacante Rafael Moura, do Goiás, também se manifestou e revelou ter sido um dos atletas contaminados. Goiás x São Paulo não tem uma nova data marcada ainda. 

VEJA A NOTA DIVULGADA PELA CBF

"Objetivando aperfeiçoar o sistema de testes para Covid-19 de jogadores nas competições nacionais, a fim de oferecer maior segurança aos clubes e atletas nelas envolvidos, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informa que realizou os seguintes ajustes nos procedimentos previstos no protocolo médico e na diretriz operacional:

A) A testagem será ampliada. TODOS os jogadores dos elencos dos clubes, inscritos na competição correspondente, serão testados a cada rodada, com 72 horas de antecedência a cada partida, independente de estarem ou não relacionados para o jogo. A medida é válida para as partidas a serem realizadas a partir da próxima sexta-feira, 14, visto que, para os jogos previstos até esta data os procedimentos já estão em curso.

B) Para garantir a logística e a agilidade deste procedimento, os clubes poderão optar entre seguir utilizando o Hospital Albert Einstein ou, se preferirem, optar pela contratação de laboratórios locais, desde que portadores do selo de acreditação laboratorial, outorgado pelas entidades de saúde competentes, e obedecendo aos padrões de teste molecular especificados pelos protocolos. A CBF reembolsará o valor dos testes aos clubes que optarem pelo laboratório local, tendo como referência o valor estabelecido no contrato celebrado entre a entidade e o Einstein. Desta forma, a CBF mantém seu compromisso de custear integralmente a realização de todos os testes, seja diretamente com o hospital referido ou com o uso de laboratórios locais.

C) Os resultados deverão ser enviados à CBF até 24h antes da partida pelo clube mandante e até 12h antes da viagem pelo clube visitante, o que permitirá que qualquer equipe proceda a troca de eventuais jogadores com teste positivo.

D) Ao mesmo tempo, a CBF reforça que os clubes devem manter o rígido cumprimento do Guia Médico para retorno das atividades do futebol brasileiro e da Diretriz Operacional de cada competição, mantendo estrito controle de testagem e avaliação médica permanente.

A CBF reafirma seu compromisso de realizar as competições previstas em seu calendário, sempre colocando como prioridade a saúde de todos os que fazem parte do nosso futebol. E ressalta que qualquer decisão sempre é tomada levando em conta a segurança das pessoas envolvidas nas partidas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.