Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Corinthians vê pressão de agente de Pedrinho para negociar o atacante

Empresário do jogador ameaçou tirá-lo do time após a Copa do Brasil

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

24 Outubro 2018 | 05h01

O empresário de Pedrinho, Will Dantas, tem se comportado de uma forma mais agressiva nas redes sociais e, após a decisão da Copa do Brasil, postou mensagens de desabafo e dando a entender que negociaria o jogador. Pouco depois, recuou, mas deixou um clima ruim nos bastidores. Os dirigentes do Corinthians entendem que a ideia do agente é forçar para que o atleta tenha sua saída facilitada. 

O Estado apurou que o Corinthians chegou a receber algumas propostas que eram boas para Pedrinho e seu agente, mas pouco interessante para o clube. Por isso, não levou adiante as negociações e irritou Will, que conta com o apoio do empresário Giuliano Bertolucci para encontrar clubes interessados no jogador. 

PSG, Barcelona, times da China e da Holanda já entraram em contato com representantes do Corinthians e, em todos os casos, o retorno foi negativo. Pedrinho tem uma multa contratual de 50 milhões de euros (R$ 212 milhões). 

Para evitar que o atacante seja atrapalhado com as declarações de seu agente, os dirigentes e membros da comissão técnica do Corinthians já conversaram com Pedrinho, lhe passaram tranquilidade e asseguraram que a postura de Will não o atrapalhará na sequência da temporada. 

O presidente Andrés Sanchez, durante o sorteio dos grupos do Campeonato Paulista, na terça-feira, comentou sobre a situação e reafirmou que Pedrinho só sai e aparecer uma boa oferta para as duas partes e ele mostrar que tem interesse em deixar o clube, algo que ainda não ocorreu.

"O Pedrinho tem contrato com o Corinthians até o fim de 2020. Se pagar a multa e o jogador quiser sair ninguém segura. Teve proposta por ele no início e no meio do ano. Ele não quis ir. O Corinthians achou não era bom para os dois e não foi vendido. Em relação ao empresário dele eu não tenho nem o que falar. Depois ele se corrigiu dizendo que estava se referindo ao uso do VAR na final. Faz parte. Assessoria, empresário, hoje todo mundo fala", disse o dirigente. 

 

 

Mais conteúdo sobre:
CorinthiansPedrinhofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.