Miguel Medina/AFP
Miguel Medina/AFP

Fora da Copa, Itália e Holanda ficam no empate por 1 a 1 em amistoso

Simone Zaza abre o placar para os italianos e Nathan Ake iguala para os holandeses

Estadão Conteúdo

04 Junho 2018 | 17h58

Em campo estavam duas seleções de tradição, em jogo que tinha tudo para chamar a atenção do mundo a 10 dias do início da Copa do Mundo na Rússia. Mas o amistoso entre Itália e Holanda, que juntas estiveram em nove finais de Mundiais, não despertou o devido interesse, já que não se classificaram para a competição. A partida realizada nesta segunda-feira, no Juventus Stadium, em Turim, foi movimentada e acabou em empate por 1 a 1, com gols de jogadores que entraram na etapa final e empate holandês no fim do jogo.

+ Sérvia leva gol no fim e perde para Chile em amistoso antes da Copa

+ Infantino elogia estrutura russa e aposta em Copa com controle rígido no doping

Comandada pelo técnico Roberto Mancini, a Itália dominou completamente as ações do primeiro tempo. Encurralou a Holanda e teve ao menos quatro chances claras de gol. Na primeira, chegou a balançar as redes, mas foi anulado pelo árbitro em consulta ao auxiliar, que observou Andrea Belotti impedido ao receber passe de Bryan Cristante.

Foram três grandes defesas do goleiro Jasper Cillessen, duas delas cara a cara, com Andrea Belotti e Simone Verdi. Quando a bola passou pelo arqueiro, Rudd Vormer salvou em cima da linha a cabeçada de Domenico Criscito, após escanteio pela direita. Jorginho, ítalo-brasileiro, nascido em Santa Catarina, armava as principais jogadas para a Itália. Sem criatividade com a bola nos pés, restava aos holandeses marcar. E abusaram das faltas.

No segundo tempo, a Holanda, do técnico Ronald Koeman, acordou para o jogo. Trocou mais passes no ataque e começou a incomodar o adversário. Em uma das jogadas mais bonitas, Tonny Vilhena completou cruzamento de voleio, mas a bola passou por cima da meta de Mattia Perin. Em seguida, Memphis Depay cabeceou fraco para fácil defesa do goleiro italiano.

Depois de muitas substituições das duas seleções - o badalado atacante italiano Mario Balotelli não entrou -, a partida perdeu em qualidade técnica. Mas ganhou em emoção. E os gols foram de jogadores que tinham acabado de entrar. Aos 22 minutos, em jogada italiana pela direita, Federico Chiesa cruzou para Simone Zaza. O atacante entrou de carrinho, o zagueiro chegou primeiro para afastar o perigo, mas a bola bateu no pé do italiano e foi para a rede.

Em seguida, aos 23 minutos, Criscito fez falta em Ryan Babel a um passo da linha da grande área, em jogada que o atacante holandês ficaria cara a cara com o goleiro. O lateral-direito italiano foi expulso. Na cobrança, Perin fez bela defesa.

Com um jogador a mais, a Holanda foi para cima em busca do empate. Quincy Promes bateu com perigo da entrada da área. Na sequência, Daryl Janmaat, de média distância, exigiu ótima intervenção do goleiro italiano.

Os tetracampeões mundiais assustavam nos contra-ataques, mas a Holanda chegou à igualdade aos 42 minutos, em cabeçada do defensor Nathan Ake, que também havia entrado no segundo tempo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.