Vítor Silva/SSPress/Botafogo
Vítor Silva/SSPress/Botafogo

Kieza admite falhas do Botafogo, mas pede apoio da torcida contra o Atlético-PR

Atacante espera contar com os torcedores alvinegros nesta quarta-feira, em jogo pelo Brasileirão

Estadão Conteúdo

12 Junho 2018 | 20h30

O atacante Kieza admitiu nesta terça-feira que o Botafogo não tem apresentado bom futebol nos últimos jogos, mas pediu apoio do torcedor para buscar a vitória na partida diante do Atlético-PR nesta quarta-feira, às 21h, no estádio Engenhão, no Rio de Janeiro, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

+ Valentim diz que expulsão de Aguirre foi injusta e elogia Botafogo 'guerreiro'

"Sei que nosso torcedor está triste, temos deixado a desejar, mas esperamos que ele possa vir e nos ajudar. Sem a torcida, não somos nada", avaliou o jogador.

Kieza destacou ainda que a conquista dos três pontos significa "as pazes com a torcida", depois de dois empates, contra Ceará (0 a 0) e Bahia (3 a 3).

No desembarque do alvinegro após o jogo em Salvador, nenhum jogador falou com a imprensa, o que mostrou a tensão do elenco diante da pressão da torcida por vitórias e melhor colocação no Brasileirão. O Botafogo está na 12ª posição, com 14 pontos.

"Precisamos reverter isso nesse último jogo. Só vejo essa possibilidade de uma maneira: trabalhar. Precisamos evoluir e esperamos que nessa parada (do campeonato para a Copa do Mundo) a gente possa corrigir os nossos erros para voltarmos melhores", analisou Kieza.

Para ele, os paranaense, que estão na zona de rebaixamento, vão jogar fechados na defesa e explorar os contra-ataques. "Sabemos que é muito importante vencer em casa. Queríamos muito contra o Ceará, mas infelizmente não conseguimos. Essas equipes jogam muito fechadas e temos que procurar fazer mais jogadas, buscar mais o gol para que as coisas voltem a ser como eram antes", disse.

Kieza é o artilheiro da equipe no campeonato, com cinco gols, e espera continuar balançando as redes. "Nunca tive essa meta de gols. Vamos trabalhando para alcançarmos os nossos objetivos. Que os gols sigam acontecendo", finalizou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.