Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Matthäus espera que VAR encerre encenações de Neymar na Copa do Mundo

Ex-jogador alemão pede que recurso seja utilizado também para verificar possíveis simulações de faltas

Jamil Chade, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

04 Julho 2018 | 08h18

Lothar Matthäus, ex-jogador alemão e vencedor do prêmio de melhor jogador do mundo em 1991, espera que o VAR coloque um fim à encenação de Neymar e de outros jogadores durante a Copa.

+ MATTHÄUS: Neymar devia parar de palhaçada

+ Matthäus vê Ozil sem coração na Alemanha e critica foto com presidente turco

+ Para Ronaldo, críticas a Neymar são 'conversa de boteco'

"Com o VAR, não entendo como um jogador quer fazer trapaças. É muito perigoso", disse o alemão, durante a apresentação do Prêmio Melhor do Mundo da Fifa. "Neymar não precisa disso, é um excelente jogador. É um dos cinco melhores do mundo. Para que fazer isso? Não gera simpatia. Não é bom para ele. Neymar vai fazer gols e vai fazer a diferença", disse.

Matthäus insistiu que o comportamento de Neymar em campo não é repetido por outros grandes jogadores. "Maradona não fez encenações, Lionel Messi não faz, Cristiano Ronaldo faz de outro tipo. Não essas. Precisamos de jogador como ele, mas não com essa forma", atacou.

Para o alemão, Neymar "não mostrou até agora que ele pode ser o melhor". Mas o ex-atleta admitiu que uma eventual vitória da seleção na Copa pode mudar a história. "Devemos também falar do Mbappé, do Kane, que tem seis gols", lembrou.

Matthäus ainda criticou a arbitragem do jogo entre Colômbia e Inglaterra, que terminou com vitória inglesa nos pênaltis, na última terça-feira, por ter permitido que os sul-americanos mantivessem o que ele chama de "provocação". "Antes, eu achava que a Colômbia só tinha um Valderrama. Agora, tem uns cinco Valderramas", atacou. "Eu não gosto dessa provocação, dessas encenações", completou.

 

Quem também criticou o brasileiro foi Jorge Campos, ex-goleiro mexicano e que também apresentou o troféu de melhor do mundo, nesta quarta-feira. "Não se pode tocar em Neymar que ele voa, salta e é frágil", ironizou. "Ele é um dos grandes jogadores da Copa. Mas não necessita tudo isso", alertou, reconhecendo que o brasileiro tem sido alvo de violência.

Para ele, o VAR "vai ajudar muito" a inibir esse comportamento. "Tem que se jogar limpo. Se deixar jogar, vai fazer coisas incríveis. Às vezes que tem recorrer à falta. Mas espero que o VAR ajude. Estão fazendo um show quando se jogam. Os jogadores nem os tocam e ele faz um show", criticou.

"Temos de defender o jogo limpo, ser honesto com você mesmo. O VAR vai ajudar contra encenações", disse. "Ingleses, espanhóis e alemães não se jogam. Continuam a jogada. Isso tem que mudar", completou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.