Fabrice Coffrini/AFP Photo
Fabrice Coffrini/AFP Photo

Suárez celebra liderança do grupo e exalta evolução do Uruguai na Copa

Equipe sul-americana fechou primeira fase da competição com 100%, sem sofrer gols e na ponta do grupo A

Estadão Conteúdo

25 Junho 2018 | 14h10

A seleção uruguaia derrotou a anfitriã Rússia por 3 a 0, nesta segunda-feira, e fechou a primeira fase da Copa do Mundo como líder do Grupo A. Mais do que a garantia da ponta, o triunfo em Samara mostrou o time sul-americano em seu auge neste Mundial até o momento, após triunfos suados sobre Egito e Arábia Saudita nas primeiras rodadas.

+ Tite avalia alternativas em treino e testa time sem Gabriel Jesus e com Fernandinho

+ Arábia Saudita marca no último minuto, vence Egito e quebra tabu em Copas

+ Veja do que precisam as seleções para se classificar às oitavas da Copa do Mundo

"Obviamente, era o que a gente queria. Nós queríamos continuar crescendo ao longo da Copa do Mundo e, depois de vencer por 1 a 0 duas partidas, hoje a gente queria fazer ainda melhor. Nós queríamos jogar da mesma forma que fazíamos antes", declarou Luis Suárez após o confronto.

Suárez foi responsável por abrir o caminho para a vitória em cobrança de falta logo aos nove minutos. Depois, Cheryshev, contra, e Cavani selaram o resultado. Mas o atacante do Barcelona foi mesmo escolhido como o melhor em campo e também celebrou a evolução pessoal no Mundial.

"Em um nível pessoal, estou feliz por seguir em frente. Com o time, continuamos a fazer história, pensando sobre o que é melhor para o elenco, já que é o que mais importa. Eu também quero reconhecer todos os uruguaios que fizeram o esforço para vir aqui, porque fomos capazes de recompensar este esforço hoje", considerou.

 

Feliz pela classificação e a liderança, Suárez fez uma análise das primeiras exibições uruguaias na Copa, que ele mesmo concordou que ficaram abaixo da expectativa. "Nas primeiras partidas, você está tenso e não quer cometer erros ou perder. Um erro pode sair muito caro. Hoje, viemos para o campo com uma atitude diferente e isso diminuiu a pressão. Foi o que vimos em campo."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.