NILTON FUKUDA / ESTADÃO/ 16-7-2018
NILTON FUKUDA / ESTADÃO/ 16-7-2018

Dois jogos em sete meses: Weverton tenta agarrar chance rara no Palmeiras

Contra o Santos, goleiro campeão olímpico em 2016 vai substituir o suspenso Jailson

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

18 de julho de 2018 | 07h00

Prestes a completar dois anos da maior conquista de sua carreira, o goleiro Weverton ainda busca espaço no Palmeiras. Contratado neste ano, ele fará nesta quinta-feira, em clássico contra o Santos, no Pacaembu, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiroapenas sua terceira partida oficial pelo clube, já que o titular Jailson está suspenso.

+ Dudu sorridente e foco na bola parada: o treino do Palmeiras nesta terça

+ Sete jogos e só um rival do G-6 à vista: a série do Palmeiras no Brasileirão

+ Confira a tabela da Série A do Brasileirão

Realidade bem diferente da que vivia em 20 de agosto de 2016 quando, ajoelhado no gramado do Maracanã junto a Neymar, comemorava a inédita medalha de ouro olímpica pela seleção brasileira, após vitória nos pênaltis sobre a Alemanha em que ele foi um dos heróis – defendeu a última cobrança, antes de Neymar converter para o Brasil e garantir o título nos Jogos do Rio.

Curiosamente, Weverton só foi convocado para a Olimpíada por conta da lesão de Fernando Prass, agora um de seus concorrentes na meta alviverde. Desde que chegou ao Palmeiras, conseguiu mostrar serviço em duas partidas oficiais: vitória por 3 a 0 sobre o Ituano, pelo Campeonato Paulista, e empate sem gols com a Chapecoense, já no Brasileirão, no último dia 29 de abril. Relacionado em outras 31 ocasiões, não saiu do banco.

Ciente de que não poderia contar com Jailson diante do Santos, o técnico Roger Machado já começou a dar rodagem a Weverton na equipe durante a "intertemporada" propiciada pela pausa da Copa do Mundo da Rússia. Nos amistosos que o Palmeiras disputou na Costa Rica e no Panamá durante o período, Weverton foi o titular – vitórias sobre Deportivo Árabe Unido (2 a 0), Independiente Medellín (2 a 0) e Liga Alajuelense (6 a 0).

Ou seja, somadas as cinco participações do camisa 21 pelo clube, ele ainda não foi vazado, o que pode servir de motivação para segurar o ataque santista comandado por Gabigol.

Com contrato válido por cinco temporadas, o jogador de 30 anos sabe que tem uma vantagem natural pela idade: Jailson está prestes a completar 37 (próximo dia 20) e Fernando Prass tem 40. Mesmo assim, Weverton pretende mostrar a partir desta quinta que o "caçula" da posição está pronto para assumir o posto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.