Heino Kalis / Reuters
Heino Kalis / Reuters

Lorenzo vai substituir Pedrosa na Honda na temporada 2019 da MotoGP

Espanhol deve formar "equipe dos sonhos" ao lado do compatriota Marc Márquez

Estadão Conteúdo

06 Junho 2018 | 06h38

Um dia depois de anunciar a saída de Dani Pedrosa ao fim da temporada da MotoGP, a Honda confirmou nesta quarta-feira que o também espanhol Jorge Lorenzo vai reforçar a equipe a partir de 2019. O dono de três títulos na elite da motovelocidade mundial assinou contrato de dois anos com o tradicional time japonês.

+ Tetracampeão da MotoGP, Marc Márquez testa carro da Toro Rosso na Fórmula 1

Com o acerto, Lorenzo deixará a Ducati ao fim desta temporada para se juntar a outro espanhol na Honda, Marc Márquez, atual bicampeão e dono de quatro títulos na MotoGP. Pedrosa, ainda na terça, afirmou que só vai revelar o seu futuro quando chegar a Barcelona para a próxima etapa do campeonato, marcada para o dia 17 de junho.

A expectativa da Honda é que Márquez e Lorenzo formem um "time dos sonhos" na equipe. Afinal, somente os dois foram campeões na MotoGP desde 2012. Lorenzo levou a melhor naquele ano e também em 2015. E seu compatriota levantou o troféu em 2013, 2014, 2016 e 2017. Neste ano, Márquez já lidera com vantagem de 23 pontos.

"A partir de 2019, Lorenzo vai se tornar companheiro do tetracampeão Marc Márquez: dois grandes campeões com grande talento e altas expectativas de tornar o time ainda mais forte e contribuir para o desenvolvimento da Honda", anunciou a equipe, em comunicado. Juntos, eles somam 11 títulos, 130 vitórias e 255 pódios em todas as categorias.

A mudança na Honda vem ao encontro de movimentos opostos na disputa na MotoGP. Pedrosa vinha em baixa nas últimas temporadas, ainda em busca do seu primeiro título na categoria principal. Já Lorenzo não escondia as dificuldades na Ducati, equipe para a qual se transferiu no início do ano passado, após deixar a Yamaha.

Por coincidência, ele faturou a primeira vitória pela Ducati na etapa passada, em Mugello, no domingo, após sofrer com a falta de ritmo do time ao longo de toda a temporada passada.

Mais conteúdo sobre:
MotoGP [motovelocidade]Honda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.