Leandro Martins/MPIX/CBV
Leandro Martins/MPIX/CBV

Zé Roberto lamenta erros da seleção e vê derrota como lição na Liga das Nações

Técnico brasileiro exalta poder dos Estados Unidos após levar 3 sets a 1 na cidade chinesa de Jiangmen

Estadão Conteúdo

06 Junho 2018 | 10h22

O técnico José Roberto Guimarães lamentou os erros cometidos pela seleção brasileira feminina de vôlei na derrota para os Estados Unidos por 3 sets a 1, nesta quarta-feira, na cidade chinesa de Jiangmen. Para o treinador, o revés deve servir de lição para a sequência da equipe na Liga das Nações.

+ Seleção feminina cai diante dos EUA e perde chance de liderar Liga das Nações

+ Seleção masculina de vôlei desembarca na Rússia e treina em arena de hóquei

"O importante é aprender com esse jogo contra os Estados Unidos. As norte-americanas jogam com muita velocidade e erram pouco. Nós cometemos muitos erros principalmente nos dois últimos sets e precisamos melhorar isso", comentou Zé Roberto, ao fazer breve avaliação da partida.

O treinador não deixou de reconhecer a superioridade das líderes da classificação da competição. "Tenho que parabenizar os Estados Unidos pela vitória", disse Zé Roberto, antes de elogiar em parte o desempenho brasileiro. "Fizemos dois sets bons enquanto o terceiro e quarto foram abaixo do que o nosso time está acostumado a jogar."

O excesso de falhas também causou incômodo nas jogadoras do Brasil. "Hoje cometemos um grande número de erros e isso não pode acontecer ainda mais contra um adversário como os Estados Unidos. Vamos estudar esse jogo para ver onde cometemos os erros. Amanhã [quinta]teremos mais um jogo difícil. Vamos descansar para irmos com tudo para esse jogo contra a Rússia", comentou a levantadora Roberta.

Nesta quarta, o maior destaque brasileiro em quadra foi a central Carol, responsável por 15 pontos. A ponteira Amanda contribuiu com 12. Pelo time dos Estados Unidos, a central Gibbemeyer e a ponteira Larson anotaram 16 pontos cada. O Brasil volta à quadra nesta quinta-feira para enfrentar a Rússia, às 5 horas (horário de Brasília).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.