Lee Smith / Reuters
Lee Smith / Reuters

Coutinho exalta 'emoção muito grande' em gol e elogia atuação do Brasil

Meia iniciou vitória sobre a Costa Rica com gol marcado aos 46 minutos do segundo tempo

Estadão Conteúdo

22 Junho 2018 | 11h46

O Brasil sofreu demais, suou e empatava com a Costa Rica até os acréscimos do segundo tempo. Foi então que apareceu a estrela de Philippe Coutinho. O meia surgiu na área após cruzamento na área para desafogar a seleção e iniciar a caminhada para a primeira vitória na Copa do Mundo. Neymar ainda marcou mais um pouco depois e selou o triunfo por 2 a 0 em São Petersburgo, nesta sexta-feira.

+ O que o Brasil precisa para se classificar às oitavas de final?

+ Neymar exagera, juiz consulta o VAR e anula pênalti para o Brasil

+ ALBERTO BOMBIG: Um choro para humanizar os brasileiros

Ainda embalado com o gol marcado, Coutinho não escondeu a emoção pelo lance e considerou que o resultado fez justiça à atuação brasileira. "É uma emoção muito grande, jogo difícil desde o primeiro minuto, a gente tentando, chutando de fora da área. Fomos premiados pela atuação do grupo", declarou à TV Globo.

Coutinho ainda relatou como viu o lance, que começou com bola ajeitada de Firmino, erro no domínio de Gabriel Jesus e sobra para o meia, que tocou de bico entre as pernas de Navas. "A bola sobrou, o Gabriel protegeu bem e consegui fazer o gol. Mas o mais importante é a equipe ganhar e fazer três pontos."

Até o gol de Coutinho, no entanto, a seleção precisou suar demais. Martelou, tentou de todos os lados e criou diversas oportunidades, mas esbarrou na falta de pontaria, em ótima atuação de Navas e até na trave, após cabeçada de Jesus. Capitão do Brasil nesta sexta, Thiago Silva admitiu que chegou a pensar que não era o dia da equipe.

 

"Ficamos preocupados, sim. Porque quando martela, martela e o gol não sai, a bola bate na trave e não entra, fica com o sentimento de 'não é hoje'. Mas não deixamos de acreditar. Foi premiada a equipe que mais tentou jogar futebol", afirmou.

Até um pênalti marcado e depois cancelado a seleção precisou superar. No segundo tempo, Neymar invadiu a área pela esquerda livre, preferiu o drible à finalização e, ao ser tocado no peito por Giancarlo González, se jogou no chão. O árbitro Bjorn Kuipers assinalou penalidade, mas, alertado pelo VAR, voltou atrás na decisão.

Sobre o lance, Thiago Silva evitou polemizar. "Difícil argumentar. Até porque faltavam poucos minutos para acabar o jogo. Se fosse ficar argumentando, talvez não teria tempo suficiente para buscar a vitória. Logo depois, o Ney e Coutinho levaram amarelo. Nessas horas, tem que ter tranquilidade, por mais que a cabeça esteja quente. Mas o importante é que a gente acreditou até o final."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.