Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

CT do Flamengo não estava regular junto ao Corpo de Bombeiros

Corporação diz que clube não tinha Certificado de Aprovação, mas afirma que não é um alvará de funcionamento

Marcio Dolzan e Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2019 | 13h14

O CT do Flamengo, que foi atingido por um incêndio que matou dez pessoas e deixou três feridos nesta sexta-feira, não estava com a documentação regularizada junto ao Corpo de Bombeiros. Segundo a corporação, o local não possuía o Certificado de Aprovação (CA), documento que atesta que a instalação está de acordo com a legislação vigente no que diz respeito a dispositivos contra incêndio.

A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros Militares do Rio de Janeiro (CBMERJ), que ressaltou, contudo, que isso não significa que o CT não fosse seguro. "Importante esclarecer que a não existência do CA não significa, por si só, que o local não possuía os dispositivos, e sim que não era aprovado pelo CBMERJ", ressaltou a corporação.

Os bombeiros informaram ainda que o CA "não se trata de alvará de funcionamento (documento exigido para estabelecimentos comerciais) ou habite-se (para imóveis residenciais). Esses documentos são emitidos pela Prefeitura [do Rio de Janeiro]", mas que o documento faz parte de um processo de legalização de edificações que envolve outros órgãos.

De acordo com suspeitas iniciais, cogitadas por jogadores e até pelo vice-governador Cláudio Bomfim de Castro e Silva, a explosão de um aparelho de ar-condicionado teria sido a causa do incêndio. Ele afirmou, no entanto, que ainda é cedo para dizer se houve um problema no aparelho ou na corrente elétrica. Técnicos da Light estavam no local nesta manhã para assessorar a perícia.

Castro confirmou que quatro dos dez corpos já foram retirados do centro. Ele informou que uma força tarefa de funcionários do Instituto Médico Legal (IML) está a postos para receber os corpos e fazer o trabalho de identificação. O teste de DNA deverá ser usado já que os corpos estão muito carbonizados. O vice-governador informou que, em princípio, os mortos são atletas do time de base do Flamengo, mas que poderia haver funcionários entre as vítimas. O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSL), determinou uma investigação minuciosa para definir as causas do incêndio. 

Um incêndio deixou dez mortos e três pessoas feridas, uma delas em estado grave, no Centro de Treinamento do Flamengo, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio, na madrugada desta sexta-feira. As vítimas, segundo os Bombeiros, são atletas das categorias de base do clube, que dormiam no local, e funcionários do clube. Os feridos foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. O goleiro Christian é a primeira vítima fatal identificada. Ele tinha 15 anos. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.