Bruno Haddad / Cruzeiro
Bruno Haddad / Cruzeiro

Decisivo de novo, cruzeirense Fábio admite incômodo por continuar fora da seleção

Clube mineiro classifica não convocação do goleiro como 'inexplicável'

Estadão Conteúdo

23 Agosto 2018 | 10h34

Ao agarrar o pênalti cobrado pelo atacante Luan aos 37 minutos do segundo tempo da partida realizada na noite desta quarta-feira, em Porto Alegre, Fábio garantiu o empate por 1 a 1 do Cruzeiro com o Grêmio no confronto válido pela primeira rodada do segundo turno do Campeonato Brasileiro. Uma semana antes, o goleiro já havia pego três cobranças de penalidades, no Mineirão, na disputa contra o Santos que levou a equipe de Belo Horizonte às semifinais da Copa do Brasil.

Ao comentar a sua nova atuação decisiva, o ídolo cruzeirense admitiu incômodo com o fato de seguir ficando fora de convocações da seleção brasileira. A última delas aconteceu na sexta-feira da semana passada, quando o técnico Tite anunciou a sua primeira lista de nomes depois de ter comandado o Brasil na Copa do Mundo da Rússia. Ele chamou 24 atletas para amistosos contra Estados Unidos e El Salvador, respectivamente nos dias 7 e 11 de setembro, ambos em solo norte-americano.

"Muitos veem que você tem merecimento e infelizmente a gente não sabe os critérios que são usados (para as convocações). Isso eu já tenho certeza, que o critério não é o mesmo", reclamou Fábio, para depois lembrar da longevidade de sua carreira como titular do gol do Cruzeiro, pelo qual acumula 787 partidas disputadas.

"Seleção é o ápice na carreira do atleta e, ao longo desses anos, são poucos que conseguiram se manter um tempo tão grande jogando em alto nível. E passam quatro anos, passam quatro anos, e estou aí, graças a Deus, podendo jogar, ajudar o Cruzeiro em momentos difíceis, tentando dar a minha contribuição para os meus companheiros", completou o jogador de 37 anos, se referindo ao intervalo de tempo entre uma e outra edição das últimas Copas do Mundo.

Em nota publicada em seu site oficial após o empate com o Grêmio, o Cruzeiro destacou que há anos Fábio tem a sua presença na seleção brasileira reivindicada e qualificou como "inexplicável" a ausência do goleiro em convocações para o time nacional. Nesta sua última lista, Tite chamou para esta posição Alisson, do Liverpool, Neto, do Valencia, e Hugo, do time sub-20 do Flamengo, este chamado apenas para ganhar experiência neste início de ciclo que visa principalmente o Mundial de 2022, no Catar.

Ao comentar o pênalti agarrado nesta quarta-feira, Fábio negou que tenha estudado o tipo de cobrança de Luan, que já havia sido parado pelo cruzeirense em uma outra penalidade no ano passado, na semifinal da Copa do Brasil, no Mineirão.

"Não estudei nada. Deus é quem direciona quando eu acerto. E se eu errar também, pois a escolha é muito rápida. Os batedores hoje batem em todos os cantos. Então, a gente tem que esperar o máximo para definir. Graças a Deus eu pude fazer a defesa e ajudar a equipe num momento importante", comemorou o goleiro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.