Petr David Josek/AP Photo
Petr David Josek/AP Photo

Técnico do Marrocos comunica corte de meio-campista e pede foco contra a Espanha

Youssef Ait Bennasser machucou o joelho no treino de terça-feira e foi cortado da delegação

Estadão Conteúdo

24 Junho 2018 | 13h42

Técnico da seleção do Marrocos, Hervé Renard comunicou que o meio-campista Youssef Ait Bennasser machucou o joelho no treino de terça-feira e foi cortado da delegação marroquina que disputa a Copa do Mundo. Já eliminada, a equipe do técnico francês vai disputar sua última partida na primeira fase contra a Espanha, às 15 horas (de Brasília) desta segunda-feira, em Kaliningrado.

+ Fifa pune Federação Dinamarquesa por cartaz sexista de torcedores

+ Fagner defende choro de Neymar: ‘Imagino tudo aquilo que ele passou’

+ Após quebrar nariz, alemão Rudy é operado e usará máscara facial contra a Coreia

"Ele foi submetido a uns exames, inclusive de ressonância magnética", afirmou o treinador em coletiva de imprensa concedida neste domingo, em Kaliningrado. Renard ainda não sabe qual é a gravidade da lesão sofrida pelo atleta do Monaco. "Como não poderia mais jogar no torneio, o clube solicitou que ele retornasse para fazer mais testes e espera que não seja nada muito severo", relatou o treinador.

Recém-contratado pelo Monaco, Bennasser não foi utilizado na derrota do Marrocos por 1 a 0 para o Irã, no dia 15, em São Petersburgo. A lesão no joelho o tirou até banco de reservas na segunda partida dos marroquinos no Grupo B, revés por 1 a 0 para Portugal, no estádio Luzhniki, em Moscou, na quarta-feira.

Renard reafirmou neste domingo que a eliminação do Marrocos no torneio é "injusta", em razão das boas atuações da seleção dele no torneio. "Não cumpri minha missão", afirmou o francês, que esperava conduzir os marroquinos às oitavas de final, mas admitiu que "não mudaria muita coisa" se as partidas fossem reeditadas.

 

"Vou encarar esse jogo como se estivesse em disputa nossa classificação", garantiu o técnico do Marrocos, que pode interferir na tabela do Grupo B e até impedir que a Espanha se classifique. "Meu trabalho é dificultar o máximo possível a vida dos espanhóis e fazer com que os marroquinos sintam orgulho da gente. Precisamos ser grandes profissionais. Vai ser uma seleção muito difícil de enfrentar se não estivermos 100% focados", afirmou Renard.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.