Joel Marklund / AP
Joel Marklund / AP

Resumo do dia da Paralimpíada: Brasil dispara com ouros no atletismo e natação

País sobe no quadro geral; tênis de mesa também garante medalhas em Tóquio-2020

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2021 | 09h00

O terceiro dia de Paralimpíada foi o mais vitorioso para o Brasil na Tóquio-2020 até o momento: nada menos do que cinco ouros, com os de Wendell Belarmino na natação, Silvânia Lima, Petrúcio Ferreira, Wallace Santos e Yeltsin Jacques no atletismo. Além disso, ainda vieram mais medalhas com a prata de Gabriel Bandeira e o bronze de Maria Carolina Santiago nas piscinas e os bronzes de Washington Júnior e João Victor Teixeira. E ainda tem duas semifinais no tênis de mesa, o que garante ao menos medalhas de bronze. Confira todos os resultados.

NATAÇÃO

Nada menos que três medalhas, uma de cada peso, foram conquistadas: Wendell Belarmino levou o ouro nos 50m livre na classe s11 (deficiência visual severa), Gabriel Bandeira festejou a prata nos 200m livre na classe s14 (deficiência intelectual) e Maria Carolina Santiago conquistou o bronze nos 100m costas na classe s12 (deficiência visual moderada).

Na mesma prova de Belarmino, Matheus Rheine chegou na sexta colocação. Daniel Dias disputou a final dos 50m borboleta da classe s5 (amputados ou com má formação congênita nos membros superiores e inferiores) e chegou em sexto também. Nos 50m borboleta da classe s5, Joana Neves ficou em quarto e Esthefany Rodrigues, na sexta posição.

ATLETISMO

O Brasil começou forte no atletismo: logo de noite, Yeltsin Jacques conquistou o ouro na corrida 5000m da classe t11 (cegos) e Silvânia Lima sagrou-se bicampeã olímpica no salto em distância, também na T11. De manhã, Petrúcio Ferreira venceu o ouro paralímpico pela segunda vez na disputa dos 100m rasos da classe T47, para quem teve um braço amputado. Na mesma prova, Washington Júnior foi bronze e Lucas de Souza ficou em sexto.

Os atletas brasileiros também fizeram bonito no arremesso de peso: na classe F55, Wallace Santos conseguiu o ouro com direito a recorde mundial, ao lançar para 12,63m. Na classe F37, João Victor Teixeira conseguiu o bronze com um arremesso para 14,85m, apesar de ter treinado pouco antes da Paralimpíada por causa de uma lesão no joelho.

O Brasil competiu nas classificatórias para os 400m rasos da classe T11. Thalita Simplício avançou para a final com o melhor tempo. Na final dos 100m rasos da classe T37 (atletas com dificuldades motoras decorrentes de problemas neurológicos), Ricardo Costa ficou em 5º lugar e Christian Gabriel chegou em 7º. Ricardo Oliveira ficou em sexto na decisão do salto em distância T11.

TÊNIS DE MESA

Duas brasileiras garantiram passagem para as semifinais: Bruna Alexandre (classe 10) e Cátia Oliveira (classe 1-2). Como a modalidade não tem disputa de terceiro colocado, ao menos os bronzes já estão garantidos. Paulo Sergio Salmin (classe 7) acabou eliminado nas oitavas de final e Israel Stroh, da mesma classe, caiu nas quartas. David Andrade, Danielle Rauen, Leticia Rodrigues, Millena dos Santos, Carlos Carbinatti e David de Freitas caíram na fase de grupos.

VÔLEI SENTADO

Foi muito difícil, mas a seleção feminina derrotou o Canadá por 3 sets a 2 na estreia. A equipe chegou a salvar um match point adversário antes de conseguir fechar o tie-break em 17 a 15.

GOALBALL

A seleção brasileira feminina chegou a estar perdendo por 3 a 0 para o Japão, mas conseguiu reagir e empatou em 4 a 4 com as anfitriãs. Com mais dois jogos a serem disputados na fase de grupos, uma vitória deve garantir a classificação, já que em uma chave com cinco equipes, quatro se classificam. A seleção masculina também conseguiu uma grande reação. Após estar perdendo por 4 a 2 para a Argélia, virou para 10 a 4 e ficou muito próximo de uma vaga na próxima etapa.

JUDÔ

Dois brasileiros entraram no tatame, Thiago Marques e Karla Cardoso, o primeiro acabou eliminado após ser derrotado pelo japonês Takaaki Hirai, enquanto a segunda também perdeu na primeira luta para a alemã Ramona Brussig e teve chance na repescagem, mas sofreu outro revés dessa vez contra a russa Alesia Stepaniuk. No judô paralímpico, competem apenas deficientes visuais.

CICLISMO

Nenhum brasileiro conseguiu se classificar para as finais do dia em Tóquio: na perseguição individual, André Luiz Grizante, no C4 4000m, e Lauro Chaman, no C5 4000m, não conseguiram se classificar, assim como Carlos Alberto Gomes na prova classificatória contrarrelógio de 1000m, classe C1 e Ana Raquel Lins, nos 500m contrarrelógio da classe C4-5 500m.

TÊNIS EM CADEIRA DE RODAS

Daniel Rodrigues abriu participação na Paralimpíada de Tóquio diante do sueco Stefan Olsson, mas acabou derrotado por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 6/2.

HIPISMO

Montando o cavalo Milenium, Sergio Oliva terminou em 10º com a pontual de 69.643 no adestramento individual no hipismo classe 1, que tem na disputa atletas cadeirantes com pouco equilíbrio no tronco e/ou debilitação de funções em todos os quatro membros. O ouro ficou com Roxanne Trunnel, dos Estados Unidos.

TIRO COM ARCO

O melhor desempenho dos atletas brasileiros foi de Jane Karla, que ficou na quarta colocação no individual composto. Além dela, no individual feminino recurvo, Fabíola Dergovics ficou na 11ª posição; Helcio Luiz acabou em décimo no individual masculino W1 e Rejane Cândida terminou na 11ª colocação no Individual Feminino W1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.