Com Brasil e México juntos no tênis, Demoliner fatura 1º título de ATP

Brasileiro fez parceria com o mexicano Santiago González e juntos conquistaram o Torneio de Antalya, na Turquia

Estadao Conteudo

29 Junho 2018 | 15h02

Rivais no mata-mata da Copa do Mundo da Rússia, Brasil e México se uniram nesta semana também no gramado, mas das quadras de tênis do Torneio de Antalya, na Turquia. E o resultado foi um troféu erguido pelo brasileiro Marcelo Demoliner e pelo mexicano Santiago González, nesta sexta-feira. Trata-se do 1º título de Demoliner no circuito da ATP.

+ Halep encara chave complicada em Wimbledon e pode pegar campeã Muguruza na semi

+ Federer tem rota dura por sua 9ª taça de Wimbledon; Nadal encara chave mais fácil

+ Algoz de Murray, Edmund perde de casaque e semi em Eastbourne fica sem britânicos

Brasileiro e mexicano brilharam nesta sexta ao vencerem, na final, os holandeses Sander Arends e Matwe Middelkoop pelo placar de 2 sets a 1, com parciais de 7/5, 6/7 (6/8) e 10/8. Com grande desempenho no serviço, eles cravaram nove aces e acertaram 78% dos pontos quando jogaram com o primeiro saque e desbancaram a dupla que era a terceira cabeça de chave.

Demoliner vinha batendo na trave em finais há quase três anos. O tenista de 29 anos acumulava seis vice-campeonatos no circuito da ATP, sendo dois em 2016 e quatro na temporada passada, com diferentes parceiros. González, mais experiente, chegou ao 12º troféu, todos em duplas.

O triunfo deve fazer Demoliner subir quase dez posições no ranking da ATP. Ele ocupa atualmente a 56ª colocação. O mexicano é o 64º - já foi 23º. A conquista deve renovar a confiança da dupla, que também vai jogar junta em Wimbledon. O terceiro Grand Slam da temporada terá início na segunda-feira, em Londres.

O Brasil será representado somente nas duplas masculinas na competição. Além de Demoliner, o País terá Bruno Soares e Marcelo Melo, atual campeão, com seus respectivos parceiros. Soares também vai jogar na chave de duplas mistas, ao lado da russa Ekaterina Makarova.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.