Gabriel Bouys / AFP
Gabriel Bouys / AFP

Courtois e Hazard atacam 'antijogo' francês: 'Preferia ter perdido para o Brasil'

Goleiro critica até mesmo a atuação de Giroud, companheiro de Chelsea

Estadão Conteúdo

11 Julho 2018 | 08h30

A eliminação diante da França nas semifinais da Copa do Mundo não foi bem digerida pela Bélgica, ou pelo menos por dois de seus principais destaques. O goleiro Courtois e o meia-atacante Eden Hazard criticaram bastante a postura do adversário na derrota por 1 a 0 na última terça-feira, em São Petersburgo, e consideraram que tratou-se de um "antijogo" praticado pelos franceses.

+ Técnico da Bélgica elogia jogadores e lamenta bola parada: 'Escanteio fez a diferença'

+ Análise: França colocou Bélgica no seu devido lugar e mostrou qual geração é boa mesmo

+ Após vencer o Brasil, Bélgica não chega à final e quebra tradição de 28 anos

Capitão belga e um dos grandes nomes desta geração, Hazard não escondeu a admiração pelo futebol francês antes do confronto, principalmente após o vazamento de uma foto dele, ainda quando criança, vestindo as cores do adversário. Perguntado sobre esta relação com o país após a derrota, o jogador do Chelsea foi bem menos amigável.

"Eu prefiro perder como esta Bélgica do que ganhar como esta França. Mas eles se defenderam fortemente e foram eficientes. Nós não encontramos o ponto fraco deles. O momento mágico que precisávamos para marcar não aconteceu. Mas estou muito orgulhoso por ter feito parte deste time, porque mostramos que sabemos jogar futebol na Bélgica. Estamos chateados, mas felizes com o que fizemos", disse à imprensa local.

Na terça, Bélgica e França fizeram um primeiro tempo movimentado, em que os belgas foram melhores em diversos momentos. Logo no início da etapa final, porém, a França chegou a seu gol, com Umtiti, e, a partir daí, se fechou em busca do contra-ataque. Também irritou os belgas a postura provocativa de Mbappé e os minutos perdidos no atendimento a Matuidi, após choque com o próprio Hazard.

 

Courtois teve análise semelhante à de seu colega, e por mais que reconhecesse o direito da França de atuar desta forma, foi crítico até à postura de seu colega de Chelsea, Olivier Giroud.

"A França jogou o antifutebol. Nunca vi um centroavante jogar tão longe da área", comentou. "Eles marcaram um gol de escanteio e não fizeram mais nada. Estão em seu direito de jogar assim, porque sabem que estávamos tendo dificuldade de lidar com isso, mas não é legal de ver. Este time não jogou melhor do que a gente."

O goleiro foi além e considerou que preferia ter perdido nas quartas de final para o Brasil, vencida pelos belgas por 2 a 1 na última sexta-feira, do que nas semifinais para os franceses. "Preferia ter perdido para o Brasil do que para a França. Ao menos, eles eram um time que queria jogar futebol. A França foi um time de antifutebol."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.